Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Era uma vez, na Eurásia...

por Torradaemeiadeleite, em 28.11.08

 

 

Reconstituição de menino Neandertal. Foto de Ph. Plailly / Atelier Daynes, 2008.

 

O nosso passado biológico vai sendo conhecido através de retalhos e descobertas desencontradas no tempo e no espaço, com as quais tentamos estabelecer um fio condutor, um caminho evolutivo lógico e a razão palpável para ser o que somos.

Quanto mais descobrimos, tantas vezes acidentalmente, mais questionamos e a medida do nosso conhecimento deveria encontrar a mesma medida de humildade... Afinal, somos jovens, muito jovens nesta Terra e já outras espécies provaram a sua adaptação ao longo de milhares de anos às transformações do planeta, persistindo com sucesso... E nós? O que teremos ainda de enfrentar?

Uma questão, de entre muitas sobre a nossa evolução, tem a ver com os nossos parentes desaparecidos. É com estes que nos entusiasmamos pois  eles podem revelar a parte do caminho  percorrido que é menos iluminada e que nos ajuda a perceber de onde vimos.

Um dos parentescos responsável por muitas voltas ao cérebro dos paleoantropólogos é o Homem de Neandertal.

Só há mais ou menos 150 anos, com provas encontradas no vale de Neander ( a cerca de 13 km de Düsseldorf ) é que percebemos que não fomos o primeiro tipo de humanos a habitar o território que agora se chama Europa. Outros se anteciparam, muitos, mas muitos anos antes,  seres com várias características humanas  mas com outras tão próprias. Confrontámo-nos, assim, com  a nossa chegada tardia, emigrados de África, a um espaço já ocupado e explorado por primos robustos e adaptados a outras altitudes, que faziam fogueiras, caçavam animais de grande porte e se movimentavam no território ao sabor das estações,  eventualmente  mirando-nos com estranheza. 

Este ano, com a ajuda de descobertas em El Sidrón, nas Astúrias,  acrescentaram-se dados aos retalhos que já existiam e  reconhecemos que os nossos primos Neandertais possuíam genes relacionados com a fala , com a cor ruiva dos cabelos e com a pele branca, eventualmente até sardenta. Parece pouco mas é  relevante se nos lembrarmos do estereótipo "feios, brutos e maus" que tão secularmente lhe associámos.

O facto de ter um gene associado à fala, ainda que em moldes diferentes da  nossa espécie, delega mais capacidade intelectual aos seus cérebros, confere-lhes a possibilidade de terem tido mais relações sociais do que se supunha e torna o Homo sapiens sapiens  menos singular do que julgávamos, não será?

Achados anteriores a estes revelaram que também eles ritualizavam a morte,   mostrando-os  mais  emocionais  aos  nossos  olhos e que a sua capacidade para fazer instrumentos pode afinal ter sido subestimada. 

Outras provas sugerem  uma interacção cultural com os  antepassados directos do homem moderno e até cruzamento genético entre as duas espécies, mas seria necessário encontrar mais  dados para tornarem provada essa teoria.

Afinal, sabemos pouco sobre os Neandertais, mas aprendemos que não podemos menosprezar a sua história, e esta torna-se cada vez mais interessante à medida que vão surgindo achados que rompem com o estabelecido previamente.

O acaso poderá expor outras descobertas, mais peças dum puzzle que sempre achei apaixonante  e que estão espalhadas pelo planeta, escondidas ou nem tanto... O nosso raciocínio poderá também perscrutar imensas hipóteses, desde que nos libertemos de preconceitos e rótulos e nos reconheçamos humildemente como mais uma espécie em vez  dos "todo-poderosos" da biologia, aqueles que têm de percorrer um caminho completamente à parte dos outros seres...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Related Posts with Thumbnails


2 comentários

Imagem de perfil

De Joanina a 29.11.2008 às 08:37

Estou de partida para a Terceira e vim dizer chau. Deixei uns posts para irem sendo publicados no Bloguezi. Logo que possa dou novidades. Bj da Jo
Imagem de perfil

De Torradaemeiadeleite a 30.11.2008 às 23:38

Obrigada pelo update, Jo!! Espero que faças uma óptima viagem, sei que a esperavas ansiosamente! Agora estás bem mais perto...
Boa estadia e muitos beijinhos!
Não deixarei de espreitar os teus posts.

Comentar post








Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Torradas com bolor

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D