Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Poesia e tubos de ensaio

por Torradaemeiadeleite, em 30.10.08

 

 

 Fotografia "googlada"...

 

Ciência e poesia não navegam em águas separadas... Eu já desconfiava mas ontem deparei-me com um exemplo mais prático e directo dessa simbiose: um rio voador!

Não o vi a correr sobre a minha cabeça mas conheci-o num cantinho da internet que se chama "Ciência Hoje".

Quando li "rios voadores" lembrei-me de Mia Couto, esse ser talentoso que a Biologia compartiu com a literatura, parecia uma expressão tecida por ele ( penso que quem conhece a sua escrita compreenderá este flash que acorreu à minha memória... ).

Em todo o caso, era duma investigação científica que se tratava e, numa terra abençoada pela Mãe Natureza como é o Brasil, não podiam faltar rios que, em vez da terra, habitam os céus e que se deixam conduzir por benfeitoras correntes de ar...

Percorrem longas distâncias e distribuem a humidade gerada massivamente na Amazónia ( abençoada fotossíntese! ) por paragens naturalmente mais secas no Sul e Sudeste brasileiro.

Os rios voadores da Amazónia estão a ser estudados quanto à sua origem, percurso e longevidade. Já neste ano foi possível confirmar fisicamente o seu trajecto e proceder então ao seu mapeamento, bem como à recolha de amostras para análise química nos mais diversos pontos do percurso. Para o conseguir foram "apenas" necessários um laboratório relativamente simples a bordo dum pequeno avião, cientistas  empenhados e um piloto muito experimentado.

Os resultados serão divulgados em 2009 mas já se adivinha o impacto que o aquecimento global pode exercer sobre este poético fenómeno e  a urgência em abrandar o ritmo e a extensão da desflorestação amazónica. Estes fluxos de vapor de água podem inclusive secar de forma irreversível.

Nunca tinha ouvido falar destes rios tão peculiares mas a imagem dum curso de água serpenteando pelo ar conquistou-me definitivamente. Admiro a Natureza e invejo também as cabecinhas que fazem poesia em tubinhos de ensaio...

 






Torradas na hora


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Torradas com bolor

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D