Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Uma teia para a incompletude

por Torradaemeiadeleite, em 08.12.15

 

 

 

molduras

 

       Fotografia de Torradaemeiadeleite. Óbidos.

 

 

 

Todos os dias escrevo a minha incompletude. Nem sempre no papel, raramente com tinta permanente.
Nesta escrita, é a mão da angústia que reincide, e também esta presença, noto
uma presença: reaparenta-me algo que nunca teve corpo e vem da minha maior distância. Ela mesma, porém, me entregará ao que nos tempos se denomina futuro, sei-o. Pensada e  sentida. Morrerá também, mas só depois de mim.
Nessa ausente presença de corpo escrevo, com a angústia a pulsar, e por elas participo de tudo que é desde o momento em que o nada foi pronunciado. Arranco-me frases que perpassam de umas essências para outras, e a minha de permeio, desnorteada, sem lugar fixo, a repetir o absurdo para que o absurdo seja jamais saciado.
Queria eu lançar teias a todas elas, para prosseguir mais firme do que sobre este vazio que estonteia.
E convenço-me de que posso fazê-lo, e prosseguir escrevendo, de mim, em mim, para lá de mim, até mais perto desse ponto onde o tempo não tem morada, até mais perto desse ponto tão somente intuído. Chegarei aí onde a incompletude faz da angústia um ser criador, e criando sinto que religo e, criadora, pertenço a mim e ao mundo.
Imagino, e imaginando apago os limites do que eu vejo. A incompletude, sim, aumentará e é imperativo que ela nunca se resolva.

 

 

 

 


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.





subscrever feeds




Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Torradas com bolor

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D